Racionais MC’s tem tudo a ver com o trovadorismo

Por Luzdalva S. Magi* | Foto retirada da revista | Adaptação web Caroline Svitras

Todos os estilos têm uma origem. As canções trovadorescas chegaram ao Brasil vindas de Portugal, o Repente nasceu do sofrimento do retirante nordestino e o Rap surgiu nos guetos americanos. E o que esses estilos, criados em momentos e situações tão distintas, têm em comum? Principalmente, a rima, a toada repetitiva e o conteúdo de sua mensagem, a despeito de todos eles, no que diz respeito à sonoridade, possuírem arranjos bem diferentes, próprios de sua época. Os trovadores cantavam seu tempo, sua terra e seus amores; os repentistas empreendem um duelo que varia entre o social e o político e os cantores de rap abordam o social e o cotidiano nas comunidades marginalizadas pela sociedade.

 

A banda Racionais MC’S, por exemplo, faz um Rap cortante, inspirado nas diferenças sociais e na violência que assola os grandes centros urbanos. Poesia forte, batida seca e dolorida, é uma música difícil porque faz pensar, traça um panorama que nem todos conhecem – a consciência do que acontece nas ruas da periferia, uma realidade quase sempre marcada pela história do menino pobre, criado pela mãe que trabalha e que tem de optar entre trazer o sustento para casa ou cuidar de seu filho e mantê-lo a salvo dos perigos da rua. O rap tem a mesma força cultural de outros ritmos e representa o cotidiano da maioria das pessoas que povoam as cidades em busca de uma vida melhor.

 

Revista Conhecimento Prático – Literatura Ed. 54

Adaptado do texto “Das cantigas trovadorescas ao cordel”

*Luzdalva S. Magi, formada em Letras pelo Centro Universitário Fundação Santo André (FSA), é professora de Língua Portuguesa, de Língua Inglesa, de Língua Francesa e suas Literaturas, de Técnicas de Redação e Análise do Discurso e também de Crítica Literária. Trabalha na Rede Particular, Estadual e Municipal da cidade de Santo André, no ABC. Contato – email: dalvamagi@yahoo.com.br, blog: http://sublime-poem.blogspot.com.br