Quatro filmes baseados na literatura brasileira para mostrar em sala de aula

Fazer os alunos se interessar pela literatura nacional pode ser uma tarefa complicada, entretanto se apresentadas antes como filmes, as obras de Machado de Assis e outros grandes autores podem se tornar mais atrativas aos olhos dos jovens

Por Caroline Svitras | Fotos: Divulgação

Apresentar livros clássicos produzidos por nossos compatriotas pode ser uma tarefa árdua para professores de Literatura. Isso porque os alunos, geralmente, não compreendem a importância de tais obras e logo perdem o interesse na leitura, seja pela linguagem mais rebuscada empregada ou pela falta de verossimilhança com nossos tempos atuais.

Pensando nisso, reunimos quadro produções do cinema que apresentam escritos de autores como Machado de Assis e Ariano Suassuna de maneira chamativa e divertida. Confira nossas sugestões.

 

O Auto da Compadecida (2000)

Uma das produções cinematográficas nacionais mais aclamadas, O Auto da Compadecida é inspirado na peça teatral homônima escrita pelo paraibano Ariano Suassuna. Em uma mistura de drama e comédia, o filme conta a história de João Grilo e Chicó, dois sertanejos que vivem de pequenos golpes e que um dia cruzam o caminho de Severino de Aracaju, temido cangaceiro da região.

Com direção de Guel Arraes, o elenco conta com Selton Mello no papel de Chicó, Denise Fraga como Dora e Bruno Garcia, que dá vida ao Eurico. Arraes também é responsável por produções como Lisbela e o Prisioneiro (2003), Meu Tio Matou um Cara (2004) e a série A Mulher Invisível (2011).

 

Memórias Póstumas (2001)

Dirigido por André Klotzel, o longa baseia-se na obra homônima de Machado de Assis. Brás Cubas (Reginaldo Faria), após deixar nosso mundo, decide narrar episódios de sua vida, conforme os fatos vão ressurgindo em sua memória. Marcos Caruso vive Quincas Borbas, fiel amigo de Brás Cubas.

 

Policarpo Quaresma, o Herói do Brasil (1998)

Considerado um dos grandes filmes brasileiros, ele é inspirado no Triste Fim de Policarpo Quaresma, do alagoano Lima Barreto. Policarpo Quaresma (Paulo José) é um nacionalista convicto, que decide lutar pela adoção do tupi-guarani como idioma oficial do Brasil. Visionário e idealista, ele tenta fazer do Brasil uma grande nação apenas como nossos recursos naturais.

Giulia Gam, Tonico Pereira e Bete Coelho integram o elenco.

 

A Hora da Estrela (1985)

Suzana Amaral dirige a obra inspirada no escrito homônimo de Clarice Lispector. Na trama, Macabéa (Marcélia Cartaxo) é uma migrante nordestina que tenta vida em São Paulo. Sem grandes ambições, seu único sonho é viver um grande amor. Passado o tempo, ela conhece Olímpico (José Dumont), operário em uma metalúrgica. Entretanto, seu romance é interrompido por uma colega de trabalho, que coloca os olhos em Olímpico após consultar a  cartomante interpretada por ninguém menos que Fernanda Montenegro.