Livros para professores

Da Redação | Fotos: Wikimedia/Reprodução

Manter a leitura em dia é essencial para o educador. Os livros nos colocam em contato com novas realidades e paradigmas, além de sempre acabar acrescentando palavras e construções para o vocabulário.

Neste post, reunimos três obras que não podem faltar na estante do professor de Literatura. Confira:

 

Contrastes e confrontos, Euclides da Cunha

A primeira edição de Contrastes e Confrontos reuniu, em 1907, artigos de Euclides da Cunha publicados originalmente em jornais. Esses textos compõem um retrato dos primeiros anos da República, no qual Euclides expõe sua visão a respeito de figuras históricas, como o marechal Floriano Peixoto, e de questões sociais que acompanham o país até hoje, como o descaso com as secas do Extremo Norte brasileiro. A obra é uma coletânea de artigos vibrantes. O artigo que dá título ao livro trata da ocupação do solo pelas populações por meio das observações de Euclides da Cunha no Peru. As crônicas valem como registro da História, trazem à luz os posicionamentos de um dos maiores escritores brasileiros, autor de Os Sertões.

 

O Antigo Regime e a Revolução, Alexis de Tocqueville

Em O Antigo Regime e a Revolução, Alexis de Tocqueville (1805 – 1859) apresenta as características do movimento que contribuiu para o fim da monarquia na França. Publicado originalmente em 1856, o título demonstra o comportamento que precede a insurreição contra monarquia absoluta que comandava o país. Com uma linguagem clara e concisa, o livro demonstra que apesar do conservadorismo da época, a monarquia sucumbiu à revolução, e a partir disso, as pessoas começaram a se politizar, não apenas na França, mas pelo mundo inteiro.

 

Um passeio no jardim da vingança, Daniel Nonohay

A obra se passa em um futuro no qual a tecnologia é avançada e a capacidade de memorizar e as aptidões humanas se ampliam por meio de implantes cibernéticos. O personagem principal é um advogado rico, drogado, sem perspectivas na vida, até sofrer um atentado terrorista. A narrativa apresenta uma linha cronológica paralela que transporta o leitor para o ápice da história, e com o estilo vibrante e original de Nonohay torna-se fácil associar o drama da ficção com a própria realidade, apresentando, assim, uma trama atemporal.

 

Para ver mais dicas de livros garanta a sua revista Conhecimento Prático – Literatura Ed. 71 clicando aqui!