Histórias que eu ouvi contar

Tem sido comum em propostas curriculares e em algumas produções didáticas introduzir a história do cotidiano, a história local, costumes, lendas, tradições, memórias e vivências

Por Simone da Silva Viana* | Fotos retiradas da revista | Adaptação web Caroline Svitras

Inspirada pela proposta de introduzir o cotidiano e a história oral da região dos alunos, estes dotados de uma identidade construída histórica e socialmente, se deu a elaboração do projeto “Histórias que eu ouvi contar”, um desafio no conhecimento e respeito a diferença cultural e a heterogeneidade de experiências sociais no âmbito escolar, tornando-se necessário uma ampliação e aprofundamento na construção de um saber compartilhado entre Literatura, História, Cultura e Cotidiano, contribuindo na formação intelectual dos alunos e no fortalecimento de sua identidade social, possibilitando conhecer e reconhecer o espaço onde vivem, pertencer e se apropriar do mesmo no decorrer da sua história, promovendo a troca de significados e vivências.

 

Por meio de atividades dinâmicas o projeto “Histórias que eu ouvi contar” foi se concretizando. O público-alvo é muito diversificado, pois este projeto pode ser adaptado a todas as etapas do ensino Fundamental ao Ensino Médio, além de ser fundamental sua aplicação no Ensino Superior, no curso de Pedagogia, nas áreas metodológicas.

 

Para que a abordagem pedagógica seja um sucesso, é necessário motivação, mostrando para o aluno, a relevância do trabalho para o seu entendimento do presente, mostrando que o assunto é importante e atual, despertando o interesse pelo projeto, uma nova forma de ver e ensinar Cultura, aprimorando sua vida social e cultural.

 

A pedagogia revolucionária de Rubem Alves

 

É importante salientar que as propostas surgidas no decorrer do projeto “Histórias que eu ouvi contar” foram frutos de uma pesquisa com base nos PCNs e nas novas metodologias no ensino da História e Geografia no processo ensino-aprendizagem. A seguir, as etapas e sugestões do projeto apresentadas, têm como um dos objetivos estimular o trabalho interdisciplinar com a História, Geografia, Literatura, Artes e Cultura em nossas escolas; considerando a prática social concreta da educação como objeto de reflexão e formação ao longo do processo formativo dos alunos e sua inserção no contexto sociocultural.

 

1º Passo

  • Motivação na seleção de textos literários ou não; documentos históricos de diversas fontes, como escrita e oral; imagens; favorecendo a uma leitura prazerosa e de fácil compreensão a respeito das lendas, tradições e costumes da região pertencente ao aluno;
  • Descrição da pesquisa realizada com diversos documentos oferecidos;
  • Mobilizar os saberes e conhecimentos prévios sobre o tema escolhido, identificando o interesse do aluno pelo assunto.

 

2º Passo

  • Relato de lendas, tradições e costumes pelos alunos… Histórias que eu ouvi contar;
  • Análise de textos e debates em grupo, almejando repensar a função social e política dos envolvidos; articulando cotidiano, cultura e sociedade;
  • Aprofundamento de informações sobre o contexto em que ocorre a trama vivida pelos personagens, possibilitando abordagens mais complexas de acordo com os interesses do público-alvo.

 

3º Passo

  • Elaborar um livro com ilustrações criativas a respeito dos temas sugeridos, utilizando-se de materiais recicláveis e de muita imaginação;
  • Nesse momento, o aluno poderá criar uma história fictícia baseada nas pesquisas e relatos realizados ou reproduzir histórias que ouviu contar. Pode, ainda ainda, descrever histórias contidas nos documentos estudados na primeira fase do projeto;
  • Apresentação mais detalhada dos pressupostos teóricos e metodológicos a serem utilizados, permitindo ao aluno ser um sujeito ativo no processo de aprendizagem.

 

4º Passo:

  • Finalmente, organizar uma exposição de todo material utilizado na concretização do projeto, desde as pesquisas, relatos, entrevistas, textos literários ao livro confeccionado pelos alunos;
  • Organizar um cenário criativo e propício para a mostra e exposição dos livros;
  • Permitir um ambiente adequado para visitas e um espaço para a leitura das estórias criadas pelos alunos/autores.

A proposta deste projeto aqui apresentada é a de um resgate da cultura regional, a identidade regional dos alunos com o contexto o qual está inserido, fortalecendo as vivências, memórias, tradições, costumes repassados de geração a geração, propiciando novas reflexões, contribuições culturais e literárias, aproximando o saber e a cultura cada vez mais no cotidiano escolar. É importante destacar que é uma proposta que pode ser modificada e adaptada a todo instante para atender a diversos objetivos pedagógicos, podendo ser recriado com a autonomia do professor, problematizando a relação cultura e educação, a partir de novas histórias e vivências.

A iniciação do aluno no mundo da cultura, da literatura, da escrita, qualifica o bem comum, a realização plena dos valores e da cidadania. Como diz Celso Antunes, “o gosto pela leitura não é um atributo genético, precisa ser ensinado e produzido entre os seres humanos”.

 

Revista Conhecimento Prático – Literatura Ed. 57

Adaptado do texto “Histórias que eu ouvi contar”

*Simone da Silva Viana é pós-graduada em História Moderna e Contemporânea, é Professora, Coordenadora, Pesquisadora  e Historiadora.