Cem anos sem Machado de Assis

Pobre, negro, neto de escravos, o carioca se tornou o maior expoente da literatura brasileira com obras transcendentais

Por Caroline Svitras | Foto: Wikimedia Commons

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu há exatamente 178 anos. Considerado um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos, era neto de escravos, foi jornalista, escritor, dramaturgo, crítico literário, poeta, e registrou com destreza a transformação política e social resultante da transição do Brasil imperial para o republicano. Em suas próprias palavras, Machado comentava que “o que se deve exigir do escritor, antes de tudo, é certo sentimento íntimo, que o torne homem do seu tempo e do seu país, ainda quando trate de assuntos remotos no tempo e no espaço”.

A publicação da obra Memórias Póstumas de Brás Cubas em 1881 é considerada o marco de início de um gênero que viria a ser conhecido como Realismo Brasileiro. Na obra, o autor lança uma de suas frases mais memoráveis, na qual pode-se encontrar seu artifício favorito, a ironia: “Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis”. Glaucio Cardoso fala esse um traço marcante da obra machadiana: “Machado de Assis usava de uma ironia recorrente em seus livros. Para ele, amor e interesse material não são conceitos muito distantes — ou seja, dinheiro, posição social e econômica são elementos fortes para as relações amorosas”.

Roberto Sarmento de Lima nos oferece uma perspectiva sobre a trajetória do intelectual carioca ao relatar que “Machado de Assis evoluiu do romance mais tradicional e convencional (a sua primeira fase, tida por romântica) para um romance mais crítico e desconfiado dos próprios recursos narrativos (caso de Memórias póstumas de Brás Cubas, que distorce o tempo, cria um defunto que narra e insulta o leitor, fazendo pouco-caso da própria narração que o narrador-protagonista, Brás Cubas, conduz).”

Machado de Assis, pobre, negro, se tornou o maior expoente da literatura brasileira e suas obras são transcendentais. Independente da época, idade e instrução do leitor, sua literatura irá sempre encantar.