A escrita de Jane Austen

Jane Austen é considerada uma das mais importantes escritoras de Língua Inglesa, cujo olhar perspicaz sobre o comportamento social de sua época lhe conferiu universalidade e atemporalidade

Por Stephanie Ambrosio* | Imagens: Criativo Mercado Editorial | Adaptação web Caroline Svitras

A família tinha uma vida estável, mas sem luxos. Apesar de receber uma proposta de casamento que lhe proporcionaria liberdade e uma posição social e financeira muito mais confortável — naquela época, a posição social da mulher correspondia a de seu pai, enquanto solteira, e, posteriormente, modificava-se para a posição social do marido, enquanto casada — não se casou, sendo fiel à sua crença de que pior do que viver sozinha seria se casar sem amor. Desse modo, levou uma vida limitada à família e aos amigos, vindo a falecer aos 41 anos, em 28 de julho de 1817.

 

Romancista importante

Primeira mulher a se tornar uma romancista importante, segundo muitos de seus estudiosos, é difícil classificá-la em um determinado movimento literário, pois suas obras não se enquadram em nenhuma das escolas de sua era. O Romantismo, por exemplo, movimento vigente que marcou o final do século XVIII indo até a metade do século XIX, fora resultado das transformações que já vinham ocorrendo, desde o início do século XVIII, em vários planos: econômico, social, político e ideológico.

 

Segundo as palavras de Julia Romeu (2010, p. 5): “Embora tenha vivido numa época turbulenta — nascida durante a Guerra da Independência dos Estados Unidos, ela foi contemporânea da Revolução Francesa e das Guerras Napoleônicas, além de testemunhar os primórdios da Revolução Industrial —, escolheu escrever apenas sobre o microcosmo que habitava, e nunca fugiu aos temas de que tratou em toda a sua obra: o amor e o casamento.”

 

Apesar de ela ter vivido nesse momento histórico, não há menção dessas ideologias em suas obras, seu universo “[…] é o doméstico, é o das casas dos nobres e abastados da província, cuja vida rotineira segue indiferente às convulsões sociais que agitavam a Inglaterra […] não parece ter vivido no mesmo mundo dos poetas românticos” (CEVASCO; SIQUEIRA, 1988, p. 52).

 

Os autores Thornley e Roberts, em An Outline of English Literature, também analisam seu modo de escrever (2008, p. 115): “Apesar de ela ter escrito seus livros num ano conturbado, que incluiu a Revolução Francesa, seus romances são imagens calmas da vida da sociedade. Ela compreendeu a importância da família nas relações humanas e, embora dois de seus irmãos terem estado na Marinha, deu pouca atenção à violência das nações.”

 

Características modernas

A autora foi a primeira a fornecer características modernas ao romance, pois suas obras revelam traços sobre a vida cotidiana da sociedade inglesa de classe média do início do século XIX, existindo pouca conexão entre a classe social em que vivia e as camadas abaixo ou acima de suas relações sociais. Ela preocupa-se em analisar essa sociedade marcada pelo preconceito socioeconômico, em que o relacionamento entre as pessoas ocorria somente entre aquelas que eram da mesma camada social. Suas obras criticam, de maneira sutil, o comportamento desse meio hipócrita e preconceituoso.

 

A família está no centro de suas observações, Austen “[…] trouxe o romance da vida familiar com seu ponto mais alto da perfeição […] ela manteve a ação de cenas familiares através de sua própria experiência” (ROBERTS, THORNLEY, 2008, p.115). Desse modo, o comportamento das pessoas e as táticas que levavam ao casamento são de extrema importância, já que um bom matrimônio garantia estabilidade econômica e status social.

 

Enquanto há pouca ação em suas tramas lineares, sua prosa flui com facilidade e naturalidade, e seu diálogo é admiravelmente fiel à realidade, segundo Anthony Burgess (1996, p.209): “Ela não tem medo de ‘desperdiçar as palavras’ em busca do diálogo naturalista, mas também pode escrever de maneira muito concisa, quando o deseja.

 

John Anthony Burgess Wilson (1917 — 1993) foi um escritor, compositor e crítico inglês. Prolífico e controverso, grande parte da sua obra ainda permanece no anonimato, sendo lembrado principalmente pelo décimo oitavo livro, a fábula em forma de ficção científica Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1962) | Foto: Reprodução

Por esse motivo, essas habilidades podem parecer românticas, mas também realistas. A autora está acima dos movimentos clássicos e românticos; em certo sentido, preenche a lacuna entre os séculos XVIII e XIX, mas não pode ser enquadrada em nenhum grupo — ela é única.”

 

Em seus romances, por meio de uma narrativa sutil e diálogos espontâneos, ela conseguiu dar vida aos seus personagens, mostrar reflexos da vida real da sociedade inglesa de sua época e do pequeno mundo das famílias rurais que possuíam um razoável padrão de conforto. A realidade em que vivia, fornecia toda a experiência e o material necessário que lhe serviu como fonte de inspiração de que precisava; nas palavras de Anthony Burgess (1996, p.209): “Os grandes movimentos históricos que explodiam lá fora pouco significavam para ela, e as guerras napoleônicas mal chegam a ser mencionadas. O interesse primordial de Jane Austen está nas pessoas, não nas ideias, e seu êxito reside na apresentação meticulosamente exata das situações humanas, no delineamento de personagens que são efetivamente criaturas vivas, com defeitos e virtudes, tal como na vida real.”

 

A preocupação maior foi com suas personagens, assim, ela se mostra mais próxima de nossa época do que qualquer romancista de seu período, pois “seus personagens são tão reais que, apesar de habitarem um lugar e uma época muito diferente da nossa, sentimos que os conhecemos” (ROMEU, p. 7, 2010).

 

Revista Conhecimento Prático – Literatura Ed. 72

Adaptado do texto “Jane Austen muito além de seu tempo”

*Stephanie Ambrosio possui Graduação em Letras — Licenciatura Plena em Português/Inglês e Bacharelado em Edição — pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2012). Atualmente, é estudante de Educomunicação na ECA – USP e professora de Língua Portuguesa e Literatura no ensino regular.